A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Sala de Imprensa
Meninos do Lago conquistam três das cinco medalhas brasileiras no Pan
Tamanho da letra
20/07/2015

Com apenas 19 anos, a canoísta Ana Sátila entrou para a história do esporte brasileiro, neste domingo (19), ao conquistar a primeira medalha de ouro feminina do Brasil na canoagem em Jogos Pan-Americanos. Integrante do Instituto Meninos do Lago (Imel) e da seleção permanente de canoagem slalom, que treina no Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu, ela venceu a prova de C1 (canoa simples), no Canadá. Até então, o País sequer tinha pódios femininos na modalidade.

Ana também trouxe a prata no K1 (caiaque simples). O iguaçuense Felipe Borges da Silva, participante do Projeto Meninos do Lago, foi outro atleta apoiado pela Itaipu a garantir lugar no pódio, com o terceiro lugar no C1.

Com o resultado, três das cinco medalhas da canoagem slalom brasileira no Pan do Canadá foram conquistadas por atletas Meninos do Lago, uma pelo Instituto e dois pelo Programa – que levam o mesmo nome e são mantidos pela Itaipu Binacional.

O resultado geral foi considerado excelente pela comissão técnica: a canoagem slalom brasileria conquistou pódio em todas as categorias disputadas. Foram, no total, um ouro, três pratas e um bronze.

Considerando também outras modalidades da canoagem (como a velocidade), o esporte se consagrou no Canadá como uma das maiores forças do Brasil no Pan-americano, com a conquista de três medalhas de ouro, seis de prata e cinco de bronze.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), João Tomasini Shwertner, isso é fruto de um longo caminho, que iniciou há mais de uma década. Para a canoagem slalom, segundo ele, um dos divisores de água foi a construção do Canal Itaipu, dentro da usina de Itaipu, que desde 2006 oferece “uma das melhores estruturas do mundo para a prática deste esporte e propiciou uma preparação de excelência para os atletas”. A Itaipu Binacional, o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), o Ministério do Esporte, a General Electric e a Unimed patrocinam a canoagem brasileira.

Com a palavra, os medalhistas

Competindo no C1 feminino, Ana Sátila desbancou todas as concorrentes ao terminar a prova com o tempo de 113.01 segundos. Em segundo lugar ficou a norte-americana Collen Hickey, que fechou seu tempo com 18.42 segundo a mais que a brasileira. Ana avaliou as adversidades do local de disputa, um leito natural de um rio. "Fiquei impressionada com a pista, que era muito rápida. É diferente de uma corredeira artificial. Estou muito feliz com a vitória.”

No K1 feminino, a disputa foi mais acirrada. Ana ganhou a prata, mas por pouco também não levou a medalha dourada. Ela ficou a dois centésimos de segundo (97.94s) à frente da primeira colocada, a canadense Jazmyne Denhollander (97.92s).

Pelo C1 masculino, Felipe Borges trouxe o bronze com o tempo de 98.41 segundos. “Isso demonstra que todo o nosso trabalho e a estrutura que estamos tendo dão resultados. Não tenho dúvida de que nos Jogos Olímpicos em 2016 vamos buscar resultados muito bons”, ressaltou. A medalha de ouro ficou para o americano Casey Eichefeld, com o tempo de 92.80s, e a prata para o canadense Cameron Smedley, com 94.09s.

Quase o ouro

Pedro Henrique Gonçalves, o Pepê, fez o melhor tempo no K1 masculino, mas, por causa de uma penalidade ao tocar uma das balizas, teve dois segundos acrescidos ao seu tempo e terminou a prova em segundo (com 89.02s). O ouro foi para o norte-americano Michal Smolen, com 87.14s. “Estou muito contente com a minha descida na final, fiz o meu máximo, o que pude”, disse Pepê. “Fui o mais rápido e, apesar da penalidade, quero comemorar esta prata”, afirmou.

Outra medalha de prata foi obtida pela dupla Charles Corrêa e Anderson Oliveira, no C2 masculino. Eles terminaram a prova com 109.73 segundos. Quem ganhou o ouro foram os norte-americanos Devin Mcewan e Casey Eichefeld, com 106.95 segundos.

O instituto e o projeto

Resultado de uma parceria entre a Federação Paranaense de Canoagem e a Itaipu, por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), o Projeto Meninos do Lago começou em 2008, com o objetivo incentivar a prática do esporte e a formação de atletas de alto rendimento que possam representar o País em competições internacionais.

Atualmente, oferece 120 vagas para a prática da canoagem slalom, no Canal Itaipu, a crianças e jovens matriculados em escolas públicas de Foz do Iguaçu. O projeto tem ajudado no fortalecimento da canoagem slalom do Brasil, com a formação de novos atletas e a elevação do nível técnico dos canoístas brasileiros.

O Imel é uma entidade de prática desportiva fundada em 2011 para representar os atletas do Projeto Meninos do Lago e canoístas de Foz do Iguaçu – inclusive os integrantes da seleção brasileira permanente, que tem sede na cidade – em competições nacionais e internacionais. O instituto se consolidou como a principal escola de canoagem slalom do Brasil e vem dominando o Ranking Nacional da Confederação Brasileira desde 2010.