A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Institucional
Fundo emergencial de US$ 3 milhões para enfrentar o coronavírus já está liberado
Tamanho da letra
18/03/2020


Usina de Itaipu, fronteira do Brasil com Paraguai. Foto: Alexandre Marchetti.

A partir desta quarta-feira (18), já está em vigência o convênio, no valor de US$ 3 milhões, firmado entre a usina de Itaipu e a Fundação de Saúde Itaiguapy para o enfrentamento de um possível surto de coronavírus (covid-19) na região. A Fundação Itaiguapy é responsável pela gestão do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC).

O recurso será usado em Foz do Iguaçu e em toda a 9ª regional, num universo estimado de 400 mil pessoas. O plano tem validade de até dez meses. O fundo emergencial vai possibilitar a reestruturação física do HMCC para atendimento de casos específicos de covid-19.

Não há nenhum caso confirmado da doença na cidade e região, mas a diretoria de Itaipu tem se esforçado para colocar em prática medidas preventivas com esse foco, tanto internas quanto externas. O objetivo é proteger a saúde de empregados, colaboradores, turistas e da população do entorno do reservatório.

Com a liberação do convênio, a fundação vai poder comprar em caráter urgente medicamentos e equipamentos, como os de proteção individual e materiais médicos, e aumentar a contratação de pessoas para esse cenário específico.

A autorização do convênio foi feita pela Diretoria Executiva de Itaipu, composta por diretores brasileiros e paraguaios, em reunião extraordinária, nesta terça-feira (17), a pedido do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna.

Em Foz do Iguaçu, a usina também tem coordenado um grupo de trabalho (GT Itaipu-Saúde) com atuação nas três fronteiras, Brasil, Paraguai e Argentina, na prevenção e combate à dengue – que tem mais de 16 mil casos notificados somente em Foz. No Paraná, são 49 mortes registradas.

O diretor-geral brasileiro explica que a Itaipu tem feito todos os esforços, respeitando os protocolos em vigência da OMS e do Ministério da Saúde do Brasil para frear o surgimento de casos da covid-19 e salvar a vida da nossa população. A atenção também tem sido redobrada em relação à dengue. “A saúde pública é uma agenda importante para Itaipu. É um compromisso que levamos a sério na nossa missão”, disse Silva e Luna.

Ajuda aos municípios

A Fundação Itaiguapy fez um mapeamento para definir prioridades. A principal delas é criar uma UTI específica para casos de covid-19, com dez unidades. O foco principal é dar prioridade aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A própria fundação vai entrar em contato com os municípios de Foz e região para levantar as necessidades de cada um deles e ver como poderá ajudar.

O que prevê o convênio

Garantir a qualidade do atendimento médico hospitalar aos empregados da Itaipu e seus dependentes, assim como a comunidade da região por meio do atendimento prestado pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Referência

O HMCC é referência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) dos nove municípios da 9ª Regional de Saúde do Estado.

Reuniões e mapeamento

Há vários dias, a Fundação de Saúde Itaiguapy vem fazendo reuniões multidisciplinares com profissionais do Hospital Ministro Costa Cavalcanti e integrantes da 9ª Regional de Saúde para alinhar os entendimentos e implementar medidas mais contundentes em relação às ações preventivas, fluxo de atendimento e tratamento de pacientes, antecipando cenários, caso a doença chegue a Foz do Iguaçu e região.

Outras medidas

A margem brasileira da Itaipu Binacional criou um comitê de gestão estratégica para discutir ações relacionadas ao novo coronavírus. Entre as primeiras medidas já anunciadas estão dispensa do trabalho de jovens aprendizes e estagiários, gestantes, lactantes e pessoas com mais de 60 anos que apresentem alguma morbidade.

A criação do comitê está alinhada às novas ações adotadas pelo governo federal, que instalou um gabinete de crise para tratar, em nível nacional, da covid-19, conforme a realidade de cada Estado e de cada município.

O grupo da Itaipu é coordenado pelo assessor especial do diretor-geral brasileiro, coronel Jorge Ricardo Áureo (AS.GB). O foco principal é preservar a saúde dos trabalhadores e demais públicos que frequentam as áreas da usina, garantir a geração de energia elétrica, propor medidas de prevenção para evitar o contágio em massa e estabelecer protocolo de atendimento rápido nos casos verificados dentro das instalações da hidrelétrica.

O rol de medidas preventivas e paliativas prevê diferentes estratégias, de acordo com o avanço da doença, levando em conta quatro possíveis cenários. O primeiro deles é o cenário atual, sem nenhum caso confirmado de covid-19 no município de Foz do Iguaçu. Os demais serão avaliados caso ocorram mudanças no quadro atual. Todas as ações têm como parâmetro as orientações do Ministério da Saúde brasileiro.