A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Turismo
Aumenta número de visitantes brasileiros em Itaipu
Tamanho da letra
20/02/2008

A usina hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu, recebeu, no ano passado, um total de 647.677 visitantes pelas duas margens, brasileira e paraguaia. Pelo lado brasileiro, foram 479.359, enquanto pelo Paraguai entraram 168.318 visitantes. Na margem esquerda, nem mesmo a cobrança, que para a visita panorâmica começou em 1º de junho do ano passado, diminuiu o interesse dos turistas brasileiros em visitar Itaipu.

 

Segundo levantamento feito pela Divisão de Relações Públicas de Itaipu, o Complexo Turístico Itaipu (CTI), margem esquerda, recebeu, em 2007, 191.150 turistas brasileiros, contra 183.561 em 2006. O aumento foi de 4,13% e pode ser explicado pelo crescimento econômico do Brasil, que também impulsionou o turismo interno. No total, contudo, a soma de brasileiros e estrangeiros que visitaram Itaipu foi menor em 2007 em relação a 2006: 479.359 no último ano, diante de 547.559 em 2006.

 

O número de visitantes estrangeiros caiu 31,75%. “Essa redução aconteceu por causa na diminuição da presença dos argentinos, tradicionalmente o nosso maior contingente de estrangeiros”, explica o gerente operacional do CTI, Jaime Nelson Nascimento, da Fundação Parque Tecnológico Itaipu. A principal causa é a valorização do real frente ao peso, que desmotivou os vizinhos argentinos, notadamente os da região fronteiriça. Os argentinos quase sempre rivalizavam com os brasileiros em números anuais de visitantes.

 

Segundo o gerente operacional do CTI, a divisão entre brasileiros e estrangeiros considera apenas três tipos de visitas: as institucionais (que são gratuitas, conduzidas pela Divisão de Relações Públicas e incluem, por exemplo, os passeios de escolas); as panorâmicas (cuja entrada inteira custa R$ 13 e corresponderam a 61,3% do total de visitas de 2007); e as do circuito especial (as mais completas, com ingresso inteiro a R$ 30), ambas conduzidas pela Fundação PTI.

 

Os três passeios receberam 354.167 visitantes em 2007. Somados às visitas à Iluminação da Barragem, ao Refúgio Biológico Bela Vista e ao Ecomuseu, apontam o número total de pessoas que passaram pelo lado brasileiro do Centro de Recepção de Visitantes no ano passado: 479.359. Um número 12,45% menor em relação ao total de 2006, que foi de 547.559.

 

Para Gilmar Piolla, superintendente de Comunicação Social, área responsável pela gestão do turismo na Itaipu, não houve surpresa. “Essa redução já era esperada e aconteceu por causa da cobrança que passou a ser feita para a visita panorâmica, procurada pelo maior número de turistas”. De acordo com Piolla, aos poucos esse custo, que tem por objetivo tornar o turismo auto-suficiente, será assimilado pelos turistas. “Basta verificar, por exemplo, que o número de visitas ao Circuito Especial aumentou, mesmo sendo este um passeio pago e o mais caro dos nossos produtos”, justifica.

 

Jaime Nascimento concorda: “Entendemos que é natural esta fase de adaptação do mercado”, afirma. A expectativa, segundo ele, é de um aumento gradativo do número de visitantes. “Estamos trabalhando com afinco junto ao trade, agências, operadoras locais e ao mercado nacional e internacional. Os reflexos da divulgação e da ação comercial não são imediatos, mas estamos observando uma evolução nos números, com aumento da visitação um pouco acima das nossas previsões”, diz o gerente operacional do CTI.

 

Todas essas ações, de acordo com Piolla, fazem parte de um novo modelo de gestão que tem como meta aumentar o período de permanência dos turistas em Foz do Iguaçu. “É um processo gradativo, que prevê uma série de reformas e investimentos nos próximos três anos. Estamos trabalhando na reformulação de todos os nossos atrativos”, ressalta o superintendente de Comunicação Social.

 

Para os futuros visitantes, haverá muitas novidades, conta Piolla. “Fazem parte do pacote de revitalização do nosso Complexo Turístico a reforma do auditório e a ampliação do espaço das lojas do CRV, a construção de um novo Mirante Central, com pavilhão panorâmico e espaço para loja, bistrô e café, um mirante para o vertedouro, um novo portal para a barreira de entrada e o incremento da Iluminação da Barragem, que passará a contar com shows que incluem a projeção de imagens em cortina de água, águas dançantes, raios laser, nova trilha sonora e uma nova programação do acendimento das luzes”, revela.

 

O Complexo Itaipu vai ganhar, ainda, uma nova comunicação visual e as lojas terão uma grife de produtos personalizados com a marca Itaipu e do projeto Ñandeva. E não é só. “Também faz parte desse projeto um passeio integrado Itaipu-Refúgio-Catamarã, em um barco com capacidade para 250 pessoas que fará o trajeto pelo lago, em uma parceria com a empresa Macuco Safari”, conclui Piolla.