A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

G1
Filhotes de harpia chamam a atenção em cativeiro do PR
Tamanho da letra
01/02/2012

Eles têm apenas um mês de vida, mas o apetite é grande. A alimentação à base de carne de animais é servida três vezes por dia, tudo em ambiente climatizado em com o carinho dos veterinários.
 
Para que as aves não fiquem dependentes do homem para conseguir comida, na hora das refeições, alguns cuidados são tomados. Quem serve não é visto pelo filhote, uma gravação reproduz o som feito pelos pais.
 
O nascimento desta espécie em cativeiro é raro, mas o refúgio biológico de Itaipu tem conseguido bons resultados. Nove filhotes nasceram por nos últimos três anos.
 
Desta vez, os veterinários e biólogos foram forçados a usar um método diferente para que os filhotes nascessem. É que a fêmea ficou doente e para que a ninhada não fosse perdida, os ovos foram chocados em incubadora.
 
Foram 54 dias monitorando umidade e temperatura. Os pais das aves vivem isolados e a próxima ninhada deve vir por meio natural.
 
No Paraná, o último registro de uma harpia avistada na natureza foi em 2005.