A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Responsabilidade Social
Jovens atendidos por programas sociais e de estágio voltam à Itaipu como empregados
Tamanho da letra
17/03/2017

 

Quase um terço dos 26 novos empregados contratados por Itaipu Binacional, na semana passada, já tinham passado pela empresa ou como estagiários ou como integrantes do Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT).
 

Novos empregados da Itaipu. Fotos: Nilton Rolin/Itaipu Binacional. Clique na imagem para baixar arquivo em alta resolução.
 
Os dados são da Superintendência de Recursos Humanos da empresa, área responsável pela organização do processo seletivo externo e também pela recepção do grupo de aprovados e encaminhamento para as áreas internas.
 
São nove ex-estagiários, de níveis técnico e superior, incluindo dois que também integraram o PIIT – um programa criado em 1988 para promover o desenvolvimento pessoal e profissional de adolescentes de baixa renda de Foz do Iguaçu e Curitiba.
 
Os jovens atuam no contraturno escolar e recebem bolsa de um salário mínimo mensal, vale-alimentação, vale-transporte, seguro de vida e convênio médico, além de desenvolver atividades culturais e receber orientação vocacional. Como contrapartida, devem comprovar bom desempenho na escola.
 
“Foi Itaipu que despertou em mim a vontade de fazer Engenharia”, disse o engenheiro elétrico Diego José Fraga, contratado para atuar na área de Mobilidade Elétrica Sustentável da usina. Ele passou pelo PIIT em 2005 e, na universidade, fez estágio na empresa.
 

Diego (esq) e Cleverson.
 
Cleverson Guimarães, contratado para atuar na área de Operação da usina, lembra que no período em que participou do PIIT, também em 2005, sempre recebeu orientação e incentivo dos gestores para não deixar os estudos. Ele seguiu os conselhos e voltou para Itaipu quando cursava Eletromecânica, como estagiário. Agora, com a carteira assinada, já faz novos planos. “Meu objetivo é estudar mais para crescer na empresa e crescer na vida.”
 
O objetivo do PIIT, de acordo com a Área de Desenvolvimento de Recursos Humanos, não é apenas reforçar a renda familiar, mas, sobretudo, desenvolver nos jovens valores como responsabilidade, organização, assiduidade e cidadania. Desta forma, estarão mais preparados para enfrentar o mercado de trabalho.
 
Além disso, o programa ajuda a aproximar a empresa da comunidade. Em quase duas décadas, já passaram pelo PIIT 5,7 mil adolescentes de 15 e 16 anos, de Foz do Iguaçu, encaminhados pela Guarda Mirim, e de 14 a 16 anos, de Curitiba. São 155 vagas para todas as diretorias da empresa. A iniciativa rendeu à Itaipu o título de Empresa Amiga da Criança, concedido pela Fundação Abrinq.
 
Estágio
 
Já o programa de estágio de Itaipu tem 228 vagas e é aberto a estudantes a partir do terceiro período de cursos superiores e primeiro período de cursos técnicos. O grupo recebe bolsa e auxílio-transporte.
 

Heloísa (centro) com Laiza (dir), com Regiani Camargo.
 
Ex-estagiária, Heloísa Antonieta Ruiz, formada em Biomedicina, prestou processo seletivo externo e foi contratada na última semana para trabalhar na área de Recursos Humanos da empresa. Ela é filha de uma ex-empregada de Itaipu. “Eu me sinto muito feliz e realizada”, afirmou.
 
Dentre os novos contratados, há também jovens que representam a segunda geração de famílias que se mudaram para a região Oeste do Paraná por causa de Itaipu. É o caso de Laiza Dalmaso da Costa, lotada na Superintendência de Manutenção: os avós ajudaram na construção da usina; tios também trabalharam ou trabalham na empresa.
 
“Estou muito feliz porque quem é de Foz do Iguaçu conhece Itaipu: uma empresa grande, sólida, e que presta um serviço importante não só para a região, mas para todo o Brasil”, disse Laiza.