A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Energia
Itaipu bate recorde de disponibilidade das unidades geradoras pelo 2º ano consecutivo
Tamanho da letra
08/01/2019

A elevada produção de energia da Itaipu em 2018 é explicada por diversos fatores. Um deles foi o alto índice de disponibilidade operacional, ou seja, o tempo em que as unidades geradoras estiveram disponíveis para produzir energia. No ano passado, além de atingir sua quarta maior produção histórica, com 96.585.596 megawatts-horas (MWh) gerados, a binacional bateu, pelo segundo ano consecutivo, seu recorde em disponibilidade operacional, atingindo o índice de 97,16%.

De acordo com o superintendente adjunto interino de Manutenção, Marco Aurélio Mauro, as elevadas produções de energia nos últimos anos acompanham um crescente aumento da disponibilidade das unidades geradoras. O índice é um dos quatro fatores que interferem na produção da usina, ao lado de demanda de consumo, afluência da água e sistema de transmissão. E é o único que depende exclusivamente de Itaipu e de uma boa gestão da área de Manutenção.

“O índice atingido em 2018 se deve, especialmente, a ajustes no plano de manutenção das unidades geradoras”, explica Marco Aurélio. De acordo com ele, foram as melhorias de processos da área de Manutenção que, desde 2012, contribuíram para elevar o desempenho das unidades geradoras. “Como as melhorias não param, para 2019, se tudo estiver alinhado e as atividades transcorrerem conforme planejado, sem grandes imprevistos, projetamos atingir nova marca, com uma disponibilidade próxima de 97,60%”.

Aprendizado


Remontagem da U06, laboratório para novos processos. (Fotos: Alexandre Marchetti)

O aperfeiçoamento dos processos da Manutenção acontece, de forma mais efetiva, desde 2012. Naquele ano, a área concluiu os trabalhos na unidade geradora U06, que ficou mais de um ano fora do sistema devido à detecção de trincas na roda da turbina, em setembro de 2010. A desmontagem e remontagem da U06 foi um laboratório para a área melhorar seus processos.

O aprendizado com a U06 permitiu à Manutenção rearranjar a periodicidade das paradas, rever os itens inspecionados, implantar melhorias de processos, readequar as atividades e fazer a gestão do conhecimento, com a qualificação dos profissionais da área.

A partir de 2013, foi verificado um aumento no índice de disponibilidade, que saltou de 93,86%, de 2012 (ainda sob a influência da parada da U06), para 96,21%, em 2013. Em 2017, o índice superou os 97% pela primeira vez e, em 2019, deve fechar com novo recorde.

No acumulado, de 2013 até 2019, a Manutenção aumentou em 192 dias o tempo em que as unidades geradoras estão disponíveis para gerar energia, flexibilizando, assim, o atendimento de demandas dos sistemas e aproveitamento dos picos de afluência no reservatório.