A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Energia
Itaipu supera o próprio recorde mundial de produção de energia
Tamanho da letra
30/12/2013

A um dia de fechar o ano, a usina de Itaipu tem um novo recorde mundial de produção de energia elétrica. Às 15h38 (horário de verão brasileiro) desta segunda-feira, 30 de dezembro, a binacional bateu, pelo segundo ano consecutivo, seu próprio recorde de geração. A comemoração da ultrapassagem dos 98.287.128 megawatts-hora ocorreu de forma simbólica. Empregados, convidados e a imprensa acompanharam, no hall do Edifício da Produção, em tempo real, o feito histórico. Um painel foi instalado no local especialmente para a ocasião.

Esta é a primeira vez na história, em 29 anos de operação, que a usina bate por duas vezes consecutivas o próprio recorde anual de geração. Em 2013, a usina hidrelétrica chinesa de Três Gargantas, que chegou a ameaçar o título da binacional no ano passado, não foi páreo para Itaipu. A produção da chinesa ficou em torno de 10% menor quando comparada à da brasileiro-paraguaia.
     
Em 2012 e 2013, Itaipu não só estabeleceu novas marcas mundiais, mas também deu um grande salto de geração em relação a anos anteriores. A vantagem do biênio é de quase 4 milhões de MWh em comparação a 2008, penúltimo recorde anual da usina, quando Itaipu registrou 94.684.781 de MWh. O maior volume produzido em um ano, antes disso, foi em 2000, quando Itaipu gerou 93.427.598 de MWh.
     
O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, atribui a superação do próprio recorde de geração à boa gestão dos recursos disponíveis e ao comprometimento dos próprios empregados. “A Itaipu vai continuar empenhada para atender as necessidades do setor elétrico do Brasil e do Paraguai e ajudar a garantir o desenvolvimento econômico dos dois países irmãos”.
     
O superintendente de Operação, Celso Torino, ressalta que a média de produção do biênio (recordes de 2012 e 2013) é 7 milhões de MWh superior à dos últimos cinco ou dez anos. Esse incremento, explica, “é equivalente a 50% do consumo anual da cidade do Rio de Janeiro”.
     
“Aprendemos muito ao longo desses quase 30 anos de produção. Além da gestão interna, melhoramos a coordenação e a otimização dos trabalhos entre Itaipu e empresas parceiras, como a Eletrobras, a Ande (estatal paraguaia), o Operador Nacional do Sistema (ONS), Furnas Centrais Elétricas e a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel)”, diz.  E complementa: “O resultado final é energia na quantidade e na hora certa”.

Para o superintendente de Manutenção, Marcos Castella, o recorde se deve a um conjunto de fatores, entre eles a sinergia da Operação e Manutenção. "Não adianta termos demanda por energia elétrica e água no reservatório se os equipamentos não estiverem disponíveis", explicou.

A usina de Itaipu é, atualmente, a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia. Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, forneceu, agora em 2013, algo em torno de 16,9% da energia consumida no Brasil e 75% do consumo paraguaio. A produção acumulada do período de 1984 a 2013 totaliza 2.135.500.000 MWh.
     
Principais comparativos da geração de 2013
     
Estado do Paraná
Os 98,5 milhões de MWh produzidos por Itaipu seriam suficientes para suprir todo o consumo de energia elétrica do estado do Paraná por três anos e oito meses;
· Consumo de energia elétrica anual de 21 cidades do porte da grande Curitiba;
· Consumo de energia elétrica anual de 140 cidades do porte de Cascavel;
· Consumo de energia elétrica anual de 73 cidades do porte de Londrina;
· Consumo de energia elétrica anual de 185 cidades do porte de Foz do Iguaçu.
     
Outros estados e regiões brasileiras
· Consumo de energia elétrica do Brasil por 79 dias;
· Consumo de energia elétrica da região Sul por 1 ano e três meses;
· Consumo de energia elétrica da região Sudeste por cinco meses;
· Consumo do Estado de São Paulo por oito meses e 24 dias;
· Consumo da cidade de São Paulo por três anos e três meses;
· Consumo da cidade de Campinas por 31 anos;
· Consumo da cidade do Rio de Janeiro por seis anos e sete meses.
     
No mundo
. Seria suficiente para suprir o consumo do mundo por aproximadamente dois dias;
· Consumo anual de energia elétrica da América Latina, excluindo o Brasil, por 89 dias;
· Consumo atual de energia elétrica da Argentina por nove meses e 22 dias;
· Consumo de energia elétrica do Paraguai por oito anos;
· Consumo de energia elétrica do Chile por um ano e seis meses;
· Consumo de energia elétrica da Venezuela por um ano;
· Consumo de energia elétrica de Portugal por um ano e onze meses;
· Consumo de energia elétrica da Alemanha por dois meses;
· Consumo de energia elétrica da França por dois meses e 14 dias;
· Consumo de energia elétrica do Reino Unido por três meses e 12 dias;
· Consumo de energia elétrica da Espanha por quatro meses e 16 dias;
. Consumo anual de energia elétrica da China por sete dias;
· Consumo anual de energia elétrica dos Estados Unidos por oito dias;
· Consumo anual de energia elétrica da Índia por um mês e onze dias;
· Consumo anual de energia elétrica do Japão por um mês e cinco dias.
     
Diferença em relação a 2012
      
A produção de Itaipu em 2013 que superou o volume de energia gerado em 2012 seria equivalente:
     
No Paraná
. ao consumo de energia elétrica de Foz do Iguaçu por 5 meses;
. ao consumo de energia elétrica de Curitiba por 16 dias;
. ao consumo de energia elétrica de Cascavel por três meses e 20 dias;
    
Outras cidades, estados e regiões brasileiras
. ao consumo de energia elétrica da Região Sul por 1 dia;
. ao consumo de energia elétrica da Região Nordeste por 1 dia;
. ao consumo da cidade de Campinas por 24 dias;
    
Países
. Ao consumo de energia elétrica do Paraguai por 6 dias;
. ao consumo de energia elétrica do Chile por 28 horas;
. ao consumo de energia elétrica da Venezuela por 18 horas;
· ao consumo de energia elétrica de Portugal 36 horas.