A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Política de Ti
Tamanho da letra

A política de Tecnologia da Informação (TI) da Itaipu prioriza a adesão ao software livre, uma opção consolidada com a criação do Laboratório de Software Livre e do Guia Livre.

O Guia Livre é um documento da empresa que contém diretrizes para o desenvolvimento e a utilização de programas de código aberto, e garante modelos de referência para os projetos de implantação e migração, além de definir requisitos que priorizem a aquisição de equipamentos compatíveis com software livre.

No Laboratório de Software Livre, que funciona em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), técnicos e estudantes desenvolvem os sistemas que serão adotados pela usina.

Atualmente, na empresa, as tecnologias de software livre executam tarefas rotineiras como correio eletrônico, compactação de arquivos, antivírus e firewall.

Porém, já começam a atender demandas estratégicas, como o monitoramento ambiental de bacias hidrográficas e a elaboração de planos de controle ambiental das propriedades rurais que margeiam o reservatório da usina, por meio do Sig@livre.

Para Itaipu, a opção pelo software livre reduz sua dependência dos fornecedores e represente uma economia considerável. Se tivesse de contratar licenças, atualização e manutenção destes softwares, a empresa gastaria cerca de US$ 850 mil anuais.

Futuramente, o objetivo é levar gradativamente a opção pelo software livre para todos os setores da hidrelétrica. Por enquanto, Itaipu adotou o software livre somente nos sistemas que convivem totalmente com outras tecnologias.

Por orientação do Gartner Group, a usina observa a curva de maturidade de uma determinada tecnologia para ter segurança na sua implantação.

O sistema operacional Linux já ganhou a confiança de Itaipu. E roda em 20 dos 27 principais servidores da empresa. Em 2007, a meta é colocá-lo em ação em todos os servidores. O passo seguinte será dispor o Linux nas 3 mil estações de trabalho.

Itaipu segue as diretrizes do e-Ping (Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico), documento elaborado pelo governo brasileiro que define um conjunto de premissas, políticas e especificações técnicas que regulamentam a utilização da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) da União e estabelecem as condições de interação com os demais poderes e esferas de governo e a sociedade.

Conteúdo Relacionado
Não existem arquivos disponíveis.