A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Responsabilidade Social
Programa promove debate sobre o uso de fontes alternativas de energia
Tamanho da letra
03/11/2016
     
O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) promove, na próxima terça-feira (8), a partir das 8h30, no anfiteatro da Faculdade Assis Gurgacz, em Cascavel, o 3º Seminário de Energias Renováveis como Vetor de Desenvolvimento do Oeste do Paraná.
 
O evento vai durar manhã e tarde e reunirá empresários, produtores, fornecedores de energias, prefeitos, secretários de meio ambiente e pesquisadores da região. O objetivo é incentivar o aproveitamento de fontes de energias alternativas, como o biogás e a solar, melhorar a eficiência energética e ampliar a geração distribuída, evitando que os produtores dependam exclusivamente da concessionária de energia.
 
Segundo o coordenador da Câmara Técnica de Energias do POD, Felipe Marques, muitos produtores reclamam da qualidade da energia elétrica que chega às propriedades rurais, o que os obriga a utilizar geradores movidos a óleo diesel. Edmilson Zabott, vice-presidente do Sindicato Rural de Palotina, é um deles. “Utilizar o gerador é muito caro. Se precisar usar com frequência, nunca seremos competitivos”, disse. Uma alternativa seria articular junto a Copel, melhoria na rede elétrica rural.
 
Opinião semelhante é do produtor de aves de Serranópolis do Iguaçu Leandro Mazurana, há 26 anos na atividade. Por causa da instabilidade da energia, de uma só vez perdeu 15 mil aves. O vizinho dele teve a energia interrompida e registrou a morte de 18,5 mil aves. “É uma atividade de risco, mas que poderia ser minimizado com melhoria na rede elétrica ou se tivéssemos outras alternativas”, disse Mazurana.
 
E são nessas alternativas que a Câmara Técnica do POD vem trabalhando, pois foi comprovado que a região tem potencial para expandir o uso de energias renováveis. A matéria-prima para o biogás (os dejetos dos animais), por exemplo, está disponível em muitas propriedades. “O uso do biogás resolve dois problemas, o energético e o ambiental”, explicou Marques.
 
A justificativa é que o biogás transforma um passivo ambiental em ativo energético. “Mesmo que seja a médio ou longo prazo, não queremos ficar dependendo de apenas um modelo energético”, disse Marques. “Vale ressaltar que a geração distribuída depende da rede de distribuição de energia, portanto o papel da concessionária de energia é muito importante.”
 
Para o superintendente de Energias Renováveis da Itaipu Binacional, Herlon Almeida, as pessoas ainda não têm, culturalmente, a noção de que podem produzir o próprio combustível ou a própria energia. “Mas hoje, com a geração distribuída, isso já é possível, sobretudo no Oeste, onde a base econômica é o agronegócio.”
 
Atividades
 
O seminário será dividido em exposição de fornecedores da cadeia de energias; apresentações de casos de sucesso na geração e comercialização de energias alternativas e plantas modelos de geração de energia solar e biogás; debates sobre eficiência energética como fator de competitividade empresarial e investimentos no mercado emergente de energia limpa.
 
As regras e políticas de Financiamentos para Projetos de Energias Renováveis e as políticas públicas como instrumento de desenvolvimento do setor de energias limpas e renováveis também serão discutidas durante o evento.
 
Oeste em Desenvolvimento
 
Lançado em 2014, o POD é uma iniciativa de Governança Regional que busca promover o desenvolvimento sustentável da região por meio de um processo participativo.
 
Para isso reúne mais de 60 instituições públicas e privadas, de abrangência municipal ou regional, como empresas, cooperativas, instituições de apoio e fomento, sindicatos e associações de classe, universidades, centros de pesquisas e tecnologias dos 54 municípios da região. Entre elas estão Itaipu Binacional, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), Sebrae/PR, Sistema Cooperativo, Caciopar, Amop, Emater e Fiep.
 
O programa atua nas áreas de infraestrutura e logística, pesquisa e desenvolvimento, crédito e Fomento, capital social e cooperação, meio ambiente e energias.