A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Meio Ambiente
Passeio ciclístico marca o início das obras da Rota Beira Parque
Tamanho da letra
27/06/2018

Um passeio ciclístico, na tarde de sábado (23), marcou o início das obras da Rota Beira Parque – uma pista de 220 quilômetros, entre Foz do Iguaçu e Cascavel, nas margens do Parque Nacional do Iguaçu (PNI), planejada para ser referência no cicloturismo internacional. A iniciativa é da Itaipu Binacional, em parceria com a Agência de Desenvolvimento do Turismo (Adetur) e os municípios lindeiros ao PNI.


Ciclistas participam do lançamento de projeto que ligará Foz a Cascavel.

Quase 400 ciclistas participaram da pedalada nos dez quilômetros iniciais do trajeto, do Centro de Recepção do PNI à Avenida Felipe Wandscheer, em Foz. A organização foi da Prefeitura, Adetur, PNI e Itaipu Binacional, com o apoio dos grupos de ciclistas da cidade.

Antes da saída, houve uma solenidade com a presença de autoridades locais – entre elas, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro. O diretor de Coordenação da Itaipu, Newton Kaminski, representou a empresa.

A primeira etapa das obras contempla pavimentação, drenagem e adequação da pista, deve estar concluída em dezembro e custará cerca de R$ 6,5 milhões. Desse montante, 70% serão pagos pela Itaipu e os outros 30% pelos 11 municípios lindeiros ao PNI.

O trabalho está sendo coordenado pela Superintendência de Obras da Itaipu e faz parte do Projetos Caminhos do Iguaçu, que prevê uma série de ações para criar outras alternativas de turismo dentro do PNI.

“O Parque Nacional é reconhecido internacionalmente por ser Patrimônio da Humanidade. Uma rota nas suas margens, com certeza, será reconhecida internacionalmente e atrairá turistas do mundo todo para a região”, disse Kaminski. “Queremos diversificar e fomentar o turismo regional. Investir na melhoria desta estrada é uma contribuição da Itaipu”, completou.

Assim como Foz do Iguaçu, os outros dez municípios também já licitaram as obras em seus trechos. A sinalização de toda ciclovia será feita pela Itaipu e deve estar pronta no segundo semestre de 2018.

Na segunda etapa das obras, de acordo com Kaminski, serão construídos pontos de paradas e incentivada a construção de pousadas e restaurantes por parte da iniciativa privada.