Sala de Imprensa
Tamanho da letra
13/03/2012
Infraero autoriza início das obras de ampliação do aeroporto de Foz

O presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Gustavo do Vale, assinou nesta terça-feira (13), em Foz do Iguaçu, a ordem de serviço para o início das obras de reforma, ampliação e modernização do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas. A empresa responsável pelo trabalho será o Consórcio Damiani Tangran, que terá prazo de 18 meses para entregar a obra. O investimento previsto é de R$ 65 milhões – R$ 50 milhões em obras civis e R$ 15 milhões em equipamentos.

De acordo com Gustavo do Vale, a obra vai ampliar a capacidade operacional do aeroporto para cerca de 3 milhões de passageiros/ano, um aumento de aproximadamente 40% em relação à capacidade atual. Em 2011, o movimento no aeroporto foi de quase 1,7 milhão de pessoas. “Nosso trabalho é fazer com que atendamos o passageiro de forma adequada”, declarou.

A solenidade contou com a presença do superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, que preside o Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu – o Fundo Iguaçu. No final do evento, Piolla entregou a Vale uma proposta de cooperação técnica para que o Fundo Iguaçu assuma a revisão do plano diretor do Aeroporto das Cataratas (leia mais abaixo).

Também participaram da cerimônia o superintendente da Regional Sul da Infraero, Carlos Alberto Souza; a superintendente do Aeroporto Internacional de Foz, Maria do Perpétuo Socorro das Chagas Pinheiro; o secretário municipal do Desenvolvimento Sócio Econômico, Adevilson de Oliveira Gonçalves, que representou o prefeito da cidade, Paulo Mac Donald Ghisi; e o presidente da Câmara Municipal de Foz, Edílio Dall'Agnol.

No cronograma de obras previstas para o aeroporto estão a reforma e ampliação do terminal de passageiros; a ampliação e cobertura da via frontal ao terminal; a reformulação de todo o sistema elétrico; a construção de um prédio para empresas terceirizadas; obras de acessibilidade; um novo acesso coberto ao estacionamento – entre outras.

O aeroporto também vai ganhar uma nova esteira no desembarque e as escadas rolantes e os elevadores serão trocados. Em 2013, começam as obras de recapeamento da pista e a ampliação do pátio de aeronaves. De acordo com o diretor técnico do consórcio, Geacir Damian, somente o terminal de passageiros vai ganhar 1,6 mil metros quadrados de construção, o que representa uma ampliação de aproximadamente 25%. No pico, a obra deverá concentrar mais de cem operários.

Gustavo do Vale lembrou que o aeroporto de Foz já está acanhado, em relação à demanda atual, e não descartou novas ampliações no futuro. “É um processo contínuo. Quando terminarmos essa obra, daqui a 18 meses, provavelmente em dois anos serão necessárias novas ampliações. E é assim em todos os aeroportos”.

Dados nacionais

No seu discurso, o presidente da Infraero citou do crescimento expressivo do número de voos e de passageiros no País, nos últimos anos, e garantiu que a estatal está preparada para responder pelas novas demandas do setor – inclusive, com a realização de eventos internacionais de grande porte, como a Copa do Mundo de 2014, os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, e a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em junho deste ano, também no Rio de Janeiro.

Os números falam por si. Em 2010, segundo Vale, o Brasil transportou 180 milhões de passageiros. Foram 3 milhões de pousos e decolagens, o segundo maior desempenho do mundo, atrás somente dos Estados Unidos. “Cada vez mais o Brasil cresce para os rincões que antes não eram dotados da aviação civil. Posso garantir que recursos do governo federal não faltarão para investimento nos aeroportos”, acrescentou. Atualmente, a Infraero administra 66 aeroportos em todo o País.

 Plano diretor

O superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, entregou ao presidente da Infraero uma proposta de acordo de cooperação técnica para que o Fundo Iguaçu assuma a revisão do plano diretor do aeroporto. O documento traz projeções para o aeroporto para os próximos 20 ou 25 anos.

Pela proposta, o Fundo Iguaçu custearia as despesas de contratação da revisão do plano diretor e também os projetos básicos. Na sequência, Itaipu assumiria os projetos executivos e o governo do Estado faria a desapropriação de áreas para a construção de uma nova pista.

“Nós queremos transformar o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu na porta de entrada e de saída do Brasil pela Costa Oeste, transformando-o num hub (centro de distribuição e redistribuição de voos) do Mercosul e dos países andinos. Queremos fortalecer cada vez mais essa vocação internacional do nosso aeroporto”, afirmou Piolla.

“Acho que essa iniciativa de Itaipu Binacional extremamente importante. Estamos em constante evolução nos nossos planos diretores e, tendo a ajuda de Itaipu, que conhece a região, que conhece as necessidades de Foz do Iguaçu, não podemos abrir mão desse trabalho”, agradeceu Gustavo do Vale. “Se tivéssemos isso em todos os nossos aeroportos, eu te garanto que a vida seria muito mais fácil”, completou.

Últimas Notícias