A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Gazeta do Iguaçu - PR
Unila inicia atividades com pós-graduação
Tamanho da letra
10/07/2009

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) iniciará suas atividades em Foz do Iguaçu em agosto, por meio do Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), que funcionará provisoriamente nas dependências do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Já está prevista uma série de atividades para este semestre, incluindo uma sessão de dez cátedras com valor de pós-graduação, que congregarão estudantes de todos os países da América do Sul.
  

Segundo informou o presidente da Comissão de Implantação da Unila, professor Hélgio Trindade, o projeto de lei que cria a Unila ainda está tramitando pelo Congresso Nacional, mas o início das atividades da universidade este ano não depende da aprovação pelos parlamentares. "Porque vamos começar com o IMEA. É um instituto já proposto antes mesmo da Unila, e agora vai ser criado formalmente pela Universidade Federal do Paraná, que será a tutora", explicou.
  

Conforme Trindade, o fato de a Unila já começar a sua atuação possuindo um instituto de estudos avançados a coloca em uma posição privilegiada. "Normalmente, as universidades federais começam com cursos de graduação, depois, mais adiante, começam a pensar na pós-graduação, e assim por diante. Mas a nossa vantagem é que vamos poder planejar simultaneamente a graduação, a pós-graduação e as pesquisas", destacou.
  

O diretor da CI-Unila salientou, ainda, que "é uma coisa extraordinariamente inovadora, porque permite que a universidade dê um salto qualitativo desde o início e tenha uma situação particularmente importante neste planejamento". Além disso, para Hélgio Trindade, "essa particularidade de começarmos com um instituto de estudos avançados vai permitir que o avanço qualitativo da universidade seja mais rápido. Todo mundo que entra para a Unila já tem que ter doutorado", informou.

  

SeleçãoEm outubro deste ano começa a seleção dos alunos de graduação que iniciarão as aulas a partir de março de 2010. Serão dez cursos em todas as áreas do conhecimento. "E vamos adotar como sistema de seleção o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que é uma prova muito mais de aptidão do que de conhecimento", ressaltou Trindade. Para os alunos de outros países, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) está preparando uma espécie de "ENEM em espanhol", para ser usado como forma de ingresso na Unila.
   

A previsão é de 800 a mil alunos matriculados em um primeiro momento, com a meta de chegar a dez mil em cinco anos. O número de professores também deverá alcançar 500. "A seleção dos docentes será por concurso público para os brasileiros. Já os latino-americanos poderão ser selecionados de outras formas", informou. Metade dos alunos selecionados será de brasileiros, e a outra metade, vinda de países latino-americanos. A mesma proporção será aplicada aos docentes.

  

CátedrasPara este ano, já está programada uma série de cátedras, com atividades de 15 horas/aula cada, que contarão como crédito para estudantes de pós-graduação. As dez cátedras cobrem diversas áreas do conhecimento e serão realizadas em quatro partes — uma por mês —, de 30 de agosto a 5 de dezembro. Para Hélgio Trindade, a importância é que os alunos selecionados "virão porque se interessam pela área e porque sabem que isso tem valor para a formação deles".

  

ConselhoO caráter latino-americano da universidade se assegura com a presença de um Conselho Consultivo Latino-Americano, a ser instalado no dia 19 de agosto, e que terá a participação de todos os países da América Latina (mais de 16 membros) e tem como missão ser um laboratório para elaborar as propostas da Unila. Nas palavras do presidente da CI-Unila, trata-se de "latinoamericanizar o projeto". Os membros foram escolhidos pela competência e pela contribuição que podem oferecer à instituição.
  

CursosOs primeiros cursos ofertados pela Unila deverão ser de Sociedade, Estado e Política na América Latina; Relações Internacionais e Integração Regional; História e Direitos Humanos na América Latina; Desenvolvimento Rural e Segurança Alimentar; Economia, Desenvolvimento e Integração; Comunicação, Poder e Mídias Digitais; Letras e Línguas Estrangeiras; Ecologia e Biodiversidade; Energias renováveis; Gestão Integrada dos Recursos Hídricos; Engenharia de Macroinfraestruturas; Saúde Coletiva e Preventiva; e as Licenciaturas: Ciências da Natureza; Interculturalidade e Integração; e Esporte, Meio Ambiente e Políticas Sociais.