A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Gazeta do Iguaçu
Unila inicia atividades amanhã no PTI
Tamanho da letra
18/08/2009

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) já será realidade a partir de amanhã. A instituição terá sua primeira atividade oficial de amanhã até sábado, quando será realizado, na sede provisória da universidade — no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) — o 1º Colóquio Internacional — Educação para a Integração Latino-Americana.
   
O evento, que terá caráter fundador da universidade, por meio da inauguração oficial do Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), reunirá pesquisadores e lideranças acadêmicas de expressão da América Latina e de outros países. Nesta quarta-feira(19) pela manhã, às 9h, o Conselho Consultivo Latino-Americano do IMEA fará sua primeira reunião, para, às 20h, realizar a abertura do Colóquio Internacional com a palestra magna "A Universidade e a Integração Latino-Americana", ministrada pelo reitor da Universidade Andina Simón Bolivar, Sede Equador, Enrique Ayala Mora.
  
Já a sessão solene de abertura do colóquio será realizada na quinta-feira (20), às 10h. Para as 12h, está marcada a inauguração das instalações provisórias da Unila/IMEA no PTI. A Unila deve começar as aulas de graduação no primeiro semestre de 2010. Enquanto isso, o planejamento das atividades gradativamente se intensifica, realizado pelos 30 professores visitantes em processo de contratação temporária. A instalação do IMEA é um importante avanço no processo de implantação da Unila. O instituto será a unidade precursora da universidade e centro de desenvolvimento de suas diretrizes acadêmicas.
  
Programação
O colóquio contará com uma série de painéis relacionados à educação e integração, que são as propostas-base da Unila. O primeiro deles, na quinta-feira à tarde, terá como tema "Conhecimento, Poder e Mudança Social: o papel da universidade na América Latina", e será mediado pelo reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho. O segundo painel tratará da "Universidade e os Desafios da Integração Latino-Americana", mediado pelo integrante da Comissão de Implantação da Unila (CI-Unila) e chefe da Divisão de Atos Internacionais do Ministério das Relações Exteriores, Alessandro Candeas.
   
Também comparecerá ao evento o integrante da CI-Unila, professor da Universidade de Brasília e ex-coordenador da Unesco/Brasil, Célio Cunha, que será o mediador do painel "A Universidade Latino-Americana diante da Globalização e da Sociedade do Conhecimento". O painel "O Saber Acadêmico e a Produção e Difusão do Conhecimento na Era da Informação" será mediado pelo integrante da CI-Unila e assistente do diretor-geral brasileiro da Itaipu, Paulino Motter. O professor e ex-reitor da UFPR, Carlos Roberto Antunes mediará o debate "Universidade Latino-Americana: qualidade acadêmica e relevância social".
   
Ingrid Sarti, integrante da CI-Unila e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), será a mediadora das discussões sobre "Universidade Latino-Americana: integração universidade-sociedade". Por fim, o painel "Universidade e Integração: experiências regionais" será mediado pelo reitor da Universidade Nacional del Este (Paraguai), Victor Chamorro.
  
A conferência de encerramento será conduzida pelo professor Hélgio Trindade — presidente da CI-Unila —, que falará sobre "O Papel da Educação na Integração Latino-Americana".

IAP concede licença prévia para construção da sede própria da Unila
   

O IAP concedeu a Licença Prévia de Instalação para a construção da sede própria da Unila, na área doada pela Itaipu Binacional. Com a licença, será possível realizar a licitação para executar as obras e colocar de pé o projeto arquitetônico concebido pelo escritório do arquiteto Oscar Niemeyer. Posteriormente, será necessário um novo licenciamento para o funcionamento da universidade.
   
O licenciamento foi obtido com rapidez porque, junto com a documentação, foi anexada a localização georreferenciada da área onde a sede da Unila será construída. O uso de imagens de satélite é permitido para empreendimentos de baixo impacto ambiental, como é o caso do futuro campus da universidade. Com base nas coordenadas, o IAP avalia o terreno, por meio de um software de georreferenciamento.
  
O inventário florestal irá permitir que, para a construção do campus, a quantidade de árvores a serem retiradas seja a mínima possível. Além disso, há o compromisso de manter uma nova área com o equivalente desmatado. No caso de algumas árvores nativas, elas serão transplantadas para a área de preservação. Outros cuidados ambientais estão sendo adotados na construção do campus da Unila. Além do tratamento dos dejetos da obra, o plano de controle dos resíduos, elaborado em conjunto pela Itaipu, Sanepar e UFPR, contempla a implantação de uma nova unidade de tratamento de esgoto, que atenderá também o bairro Vila C.
  
Essa estação, seguindo a orientação de projetos semelhantes desenvolvidos pela Itaipu e seus parceiros, produzirá energia a partir do biogás gerado pelos efluentes tratados. A Unila contará ainda com reuso de água, esgoto a vácuo nos banheiros, pavimentações permeáveis (para evitar a impermeabilização do solo), aproveitamento de água da chuva e painéis solares. A construção privilegiará a mobilidade sustentável, entre outras práticas da arquitetura verde.