A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Gazeta do Iguaçu - PR
Sanepar finaliza projeto de esgoto para atender à Unila
Tamanho da letra
19/08/2009

Antes mesmo do início de suas atividades oficiais e das obras, a Universidade Federal da Integração Latino Americana (Unila) já começa a provocar modificações na infraestrutura da cidade. Uma das primeiras ações com este fim será a ampliação do sistema de saneamento da Sanepar, que aumentará sua rede na região visando atender não apenas a instituição, mas também os moradores da Vila C. O anúncio foi feito após uma vistoria nos locais das obras, em que participaram a diretora de Meio Ambiente e Ação Social da empresa, Maria Arlete Rosa; engenheiros da empresa, representantes da Itaipu Binacional, da Prefeitura de Foz e da Caixa Econômica Federal.
   
Na ampliação da rede de esgoto, além do atendimento da Vila C e da Unila, bairros adjacentes como São Sebastião e Bela Vista também passarão a contar com o saneamento. Atualmente, a Sanepar está na fase conclusiva do projeto executivo. Como os recursos, advindos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) já estão liberados, tão logo se encerre o projeto inicia-se o processo de licitação da obra, que por sua vez deverá começar em abril de 2010.
  
"Os recursos são da ordem de R$ 13 milhões, para execução não só da parte da Vila C e Unila, mas também de mais 20 quilômetros no Jardim Elisa. O que é importante destacar na questão da Vila C e da Unila é que dentro do projeto de geração de energia, que temos a experiência com biogás metano e já estamos gerando energia na ETE Ouro Verde, vamos ampliar para a ETE Jupira, de onde irá todo o esgoto da região", explicou o gerente-regional da Sanepar, Sergio Caimi.
  
De acordo com ele, a nova rede coletora se interligará a já existente próxima ao Jardim Belvedere. Com isso, facilitará a o processo de tratamento. "Vamos implantar duas estações elevatórias, uma na Vila C e outra próxima da entrada da Itaipu para coletar e transportar o esgoto para os interceptores", complementou.
  
Vila C
Com a implantação do sistema, as redes coletoras passarão em frente às residências da Vila C, bairro que ainda não possui sistema de esgoto. De lá, como a topografia não permite, o material será enviado a uma estação elevatória, que irá receber os resíduos por gravidade e lançará para uma outra rede. Esta, por sua vez, enviará, aproveitando a queda do terreno até a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) do Jupira.
  
Com a infraestrutura, que atenderá cerca de 5 mil residências da Vila C e a rede do Jardim Elisa e bairros próximos, Foz do Iguaçu aumentará para 75% o percentual de atendimento de saneamento. "Água já é 100% da cidade. Com a ampliação (da coleta de esgoto), a cidade estará numa situação muito privilegiada. Pois a Organização Mundial de Saúde diz que uma cidade que tem 60% do esgoto de sua população coletado é considerada ótima", comemorou Caimi.
  
Outro diferencial na cidade é a geração de energia elétrica por meio do biogás. Atualmente, Foz é pioneira neste aspecto em termos de Estado, com a ETE Ouro Verde, atrás do Shalon. Trata-se de um projeto piloto, dentro do programa de energias alternativas da Itaipu, juntamente com a Copel e outros órgãos. Como a experiência foi bem-sucedida, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou o projeto, permitindo à Sanepar a lançar o excedente da energia produzida para a Copel. "Vamos vender esta energia a partir do final de setembro", antecipou o gerente.
  
Atualmente, a ETE do Outro Verde gera cerca de 1,6 MW. Com apenas um gerador, a produção, mesmo pequena, é suficientes para o consumo interno da empresa e fornecer para o consumo de cinco casas externas.
  
O projeto será estendido a outras unidades, como a maior estação de tratamento de esgoto do Estado, em Curitiba. Com isso, haverá a redução dos custos com energia elétrica, a segunda maior despesa da Sanepar.
  
Para atender a Vila C e a Unila, serão executados aproximadamente 50 mil metros de rede coletora, interceptores, estações elevatórias. A ETE do Jupira também será readequada