A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Gazeta do Iguaçu - PR
Refúgio Biológico comemora 25 anos com festa para a comunidade
Tamanho da letra
06/07/2009

O Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), da Itaipu Binacional, comemorou neste final de semana o aniversário de 25 anos. No sábado, uma diversificada programação envolveu a comunidade durante todo o dia. Estudantes e moradores da Vila C participaram de atividades como palestras e oficinas sobre educação ambiental, assistiram a peças teatrais e filmes, e ainda cantaram os parabéns, com direito a bolo de aniversário.
Conforme explicou a educadora ambiental Hildete Aparecida da Silva de Souza, o 25º aniversário do Refúgio Biológico é uma data muito importante, pois marca um quarto de século da criação do espaço, "destinado a abrigar espécies da fauna e flora na época da formação do reservatório para a construção da hidrelétrica". A principal característica do Refúgio é a educação ambiental, onde se faz um intenso trabalho com turistas e principalmente com estudantes no sentido da conscientização acerca da necessidade de preservação do meio ambiente.
Hildete destacou que "a gente está vendo tanto problema de devastação, e o quanto estamos sofrendo com as questões climáticas, falta d’água, tudo porque nós estamos destruindo a nossa qualidade de vida". Ela lembrou ainda que o RBV foi remodelado em 2000, ficando fechado até 2004 para visitação. "Quando foi criado o Refúgio, na Vila C, que era muito próxima daqui, o pessoal pressionava para entrar, porque não era aberto à população, mas eles sabiam que tinha bicho, e todo mundo quer ver bicho. E daí nós criamos atividades de educação ambiental para trabalhar mais com eles, porque só ver bicho por ver, não é educativo", contextualizou.

O Refúgio
O Refúgio Biológico Bela Vista surgiu para receber os animais resgatados na operação "Mymba-kuera" ("caça-bicho" em tupi-guarani), com a finalidade de preservar as espécies quando o Lago de Itaipu foi formado. Foram 19 dias de operação, 160 funcionários envolvidos e 13 mil animais resgatados. O Refúgio atualmente conta com um grande zoológico, um criadouro de animais e um moderno hospital veterinário. Nasceu da necessidade de tirar o animal da área alagada e hoje cuida e reproduz espécies ameaçadas de extinção.
São 81 espécies diferentes de animais, entre mamíferos, aves, répteis e um anfíbio. Treze delas já foram reproduzidas no espaço, casos das aves arara-canindé e harpia, e do mamífero cervo-do-pantanal, todas consideradas criticamente em perigo de extinção. Atualmente, o RBV mantém 388 exemplares de animais, a maior parte de mamíferos (175 exemplares de 26 espécies diferentes).
Além dos programas de preservação da fauna, o Refúgio administra a produção de peixes, nos tanques-redes do Portinho, e a sua reprodução no Canal da Piracema. São três os tipos de visitas disponíveis: as técnicas e científicas, feitas por Itaipu; as turísticas, comandadas pelo Centro de Recepção de Visitantes, e as de educação ambiental, voltadas às escolas e realizadas pelos educadores ambientais de Itaipu.
Na área de flora, o Refúgio Biológico tem o programa de plantas medicinais, um banco de germoplasma e a produção de mudas usadas na arborização da usina, nos bosques do Visitante e do Trabalhador. Há ainda o viveiro florestal, que produz mudas nativas para ser plantadas no corredor da biodiversidade e na faixa de proteção do lago. Foram 24 milhões de mudas produzidas pelo espaço para formar os atuais 29,5 mil hectares de faixa de proteção.