Gazeta do Iguaçu - PR
Tamanho da letra
03/09/2009
Produtos orgânicos serão inseridos na merenda escolar das escolas públicas da região

Até o final do ano, o cardápio da merenda escolar dos municípios pertencente à Bacia do Paraná III, entre eles, Medianeira, Missal, Itaipulândia, Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu e Santa Helena, será reforçado. Além dos tradicionais pratos, como cachorro-quente, risoto e leite com bolacha, os alunos das escolas municipais e estaduais da região contarão com alimentos à base de produtos orgânicos. Todos produzidos sem agrotóxicos. A proposta do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros é criar cardápios alternativos que possibilitem uma alimentação saudável e, ao mesmo tempo, fomentar a agricultura familiar.
Para estimular os municípios a aderirem ao programa, o conselho, em parceria com a Itaipu Binacional, está desenvolvendo um curso para gestores de merenda. Ao todo serão quatro módulos. Na terça-feira, cerca de 40 merendeiras participaram da terceira etapa do curso em Santa Terezinha. Nas próximas semanas, ocorrerá a última fase.
Após a capacitação, será realizado um concurso. Duas merendeiras de cada município apresentarão receitas inovadoras. As melhores farão parte de um Caderno de Receitas Saudáveis. Segundo o coordenador da rede Linha Ecológica, Mauri Schneider, ao todo, o curso envolverá 160 gestores em merenda escolar. No concurso devem participar em torno de 1.200 merendeiras, representando 29 municípios que compõem a bacia. O prazo para apresentação final dos "pratos" é no dia 17 de outubro.

Multiplicadoras

Depois de concluir o treinamento, essas profissionais serão as multiplicadoras das receitas e divulgarão os benefícios do cultivo de alimentos sem agrotóxicos.
Segundo a coordenadora da merenda escolar em Santa Terezinha, Edna Aparecida Fernandes Souza, embora a cidade não conte com uma produção muito diversificada de produtos orgânicos, toda a refeição oferecida aos estudantes é balanceada e condimentada com ervas medicinais. "Aos poucos conseguiremos inserir alimentos mais saudáveis na alimentação deles", explica. Para agilizar o trabalho, a Secretaria da Educação estimula o plantio de verduras e legumes na própria unidade escolar. "Algumas escolas mantêm hortas e retiram de lá os produtos utilizados na merenda", disse Edna.

Curso

O terceiro módulo realizado em Santa Terezinha de Itaipu foi ministrado pela profissional de gastronomia, Amanda Benghi Marfil. Presente na abertura do encontro, a prefeita Ana Carlessi citou a alimentação como um ato sagrado e manifestou total respeito e gratidão pelas merendeiras, que são as responsáveis pela construção da alimentação saudável aos alunos. "São de projetos dessa magnitude que os municípios precisam. Saber que fazemos parte dessa transformação é muito gratificante".
Na abertura do curso, o diretor de Coordenação da Itaipu Binacional, Nelton Friedrich, parabenizou as participantes por enfrentar o desafio de novas descobertas na cozinha e da responsabilidade de cada uma para com a construção da estrutura orgânica dos estudantes. "Vocês deixaram de permanecer quietinhas, na cozinha, para se tornarem protagonistas nas escolas, afinal, é da mão de vocês que sai o alimento que vai garantir saúde, educação e vida saudável para os nossos alunos", destacou.