A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Jornal de Londrina
Prefeito autoriza compra de carrinhos elétricos
Tamanho da letra
15/10/2009

Dez carrinhos elétricos serão comprados pela Prefeitura de Londrina para a cooperativa de catadores de material reciclável. O equipamento, desenvolvido pela Usina Itaipu Binacional, otimiza o trabalho dos catadores, diminuindo o esforço para puxar o peso do lixo reciclável. O investimento será de R$ 68 mil e o recurso deve vir da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).
   

De acordo com a assistente social Marilys Garani, o prefeito Barbosa Neto ficou entusiasmado com o equipamento e, diante da aprovação de dez, dos 17 grupos de trabalho da cooperativa, autorizou a compra dos carrinhos. “Ele nos pediu para fazer um estudo dessas dez rotas para fazer o processo de dispensa de licitação”, disse Marilys. Cada carrinho custa, me média, R$ 6,8 mil.
  

“Nada mais justo que a gente poder disponibilizar a compra. Temos total intenção de melhorar as condições de trabalho dos recicladores”, declarou Barbosa Neto. De acordo com ele, o serviço prestado pelos catadores é importante para a cidade. “Londrina espera aprimorar cada vez mais.” O carrinho funciona com uma bateria elétrica de duração de oito horas ou percurso de 30 quilômetros.
  

A reportagem do JL chegou a testar o carrinho no fim de setembro. Na ocasião, pelo menos 80% dos catadores que utilizaram o equipamento haviam aprovado. O teste em Londrina, que estava programado para terminar no último dia 10, foi prorrogado até a próxima quarta-feira, porque houve atrasos: além da chuva, a bateria do equipamento apresentou problema em alguns dias.
   

O próximo passo para a aquisição dos carrinhos será o mapeamento das regiões atendidas pelos dez grupos de trabalho. Segundo Marilys, eles atuam nas regiões leste e sul e atendem também o centro da cidade. A ideia é que os equipamentos sejam divididos em grupos próximos, para “não perder tempo com o translado”. O uso será dividido em dias da semana. A assistente social explicou ainda que será preciso fazer um processo de dispensa de licitação, o que deve demorar até 40 dias.