A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Agência Estadual de Notícias - PR
Paraná será referência
Tamanho da letra
09/07/2008

O Paraná está prestes a ser tornar modelo internacional para demonstração de projetos de energias renováveis na América Latina. A informação foi divulgada nesta terça-feira (08) em Foz do Iguaçu pelo assessor da diretoria de Itaipu, Cícero Bley Junior, durante visita da Missão Internacional de Energias Renováveis Paraná–Rhône-Alpes–Pensilvânia.

 

“No mês de setembro o diretor brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Samek, assinará na Suíça um memorando de intenções com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Onudi), transformando a região oeste do Paraná em uma área modelo para o mundo no que se refere a projetos de energias renováveis”, antecipou Cícero Bley, ao apresentar à Comitiva internacional a proposta da Plataforma Itaipu de Energias Renováveis.

 

Cerca de dez representantes do governo de Rhône-Alpes e da Pensilvânia conheceram em Foz do Iguaçu a Unidade Piloto de Energia Renovável da Estação de Tratamento de Esgoto da Sanepar e o projeto desenvolvido pela Itaipu, na Granja de Suínos da Cooperativa LAR, em São Miguel do Iguaçu. Acompanharam a visita técnicos da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Secretaria de Indústria e Comércio, Itaipu e Sanepar.

 

O especialista em Meio Ambiente e Recursos renováveis do Governo da Pensilvânia, Daniel Desmond, concorda que o Paraná pode tornar-se referência mundial na produção de energias renováveis.

 

“Com o potencial e a abundância de recursos hídricos, o Brasil e o Paraná têm qualificação para serem líderes globais na produção de energia sustentável”, declarou Daniel. Entre os principais interesses da Comitiva no Estado estão a biomassa, a energia solar e hidroelétrica.

 

“O Paraná ainda tem muitas áreas rurais e oportunidade de não cometer os mesmos erros que a Europa e os Estados Unidos cometeram neste setor. O futuro está na descentralização da geração de energia e na sua distribuição”, declarou Daniel. Ele contou que nos Estados Unidos os produtores rurais já vendem - com respaldo da Lei - a energia excedente produzida, que volta ao produtor em forma de créditos.

 

Para o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues, uma das principais metas do Paraná é adequar a sustentabilidade ambiental, com o potencial das energias renováveis no âmbito econômico e social.

 

Granja Columbari - A medida mencionada pelo especialista americano é a mesma implementada no Brasil, a partir de um Projeto paranaense desenvolvido pela Itaipu, em parceria com a Copel e que transforma dejetos de suínos em eletricidade.

 

De acordo com Cícero Bley, a partir do mês de agosto os paranaenses já poderão ter na produção de energia renovável mais um fonte de renda - já que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) está concluindo o sistema de modelagem que proporcionará a Geração Distribuída (produção de energia junto à unidade consumidora).

 

Com isso, a Copel poderá comprar toda a energia gerada pelos produtores que fazem parte do projeto. A modalidade foi implantada e testada pela Itaipu em parceria com a Companhia Paranaense de Energia (Copel). Apesar de haver um marco regulatório para o tema (Decreto Federal 5.163, de 2004, e Norma Técnica 167 da Aneel, de 2005), faltavam estudos que estabelecessem parâmetros operacionais.

 

Rodada de Negócios - A coordenadora de Cooperação com o Brasil no Departamento de Assuntos Europeus, das Relações Internacionais e da Cooperação da região Rhône-Alpes, Lucyna Gravière, disse que as conversas com o Paraná para a troca de tecnologias e formas de cooperação na geração de energia renovável, estão sendo discutidas há alguns meses.

 

“A Pensilvânia, Rhône-Alpes e o Paraná são três regiões que investem em políticas públicas e incentivam a geração de energia limpa. Com isso, esperamos possibilitar a transferência de tecnologia e a aproximação entre empresários paranaenses, americanos e franceses e movimentando a economia nos três estados”, enfatizou Lucyna.

 

Nesta quarta-feira (09) a Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul organiza em Curitiba uma rodada de negócios - mesas-redondas específicas - entre empresários paranaenses e a comitiva norte-americana e Ron alpina para discutir parcerias sobre energias renováveis.

 

O representante da Secretaria do Meio Ambiente na Comitiva, Paulo Roberto Castella, destacou que a parceria será importante para o Paraná aprofundar discussões e conhecimentos voltados à produção de energia eólica. “Estimulando a troca de experiência e a produção de novas fontes de energias renováveis, estaremos impulsionando a produção de energia limpa, a elaboração de projetos de Mercanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) e, consequentemente, trazendo benefícios ao meio ambiente do Paraná“, lembrou Castella.

 

A coordenadora de Mudanças Climáticas da Secretaria do Meio Ambiente, Manyu Chang, que também acompanhou as visitas da Comitiva, acredita que missões como esta só agregam pontos positivos ao currículo do Paraná. “Estamos comprovando a nossa contribuição para a redução do aquecimento global, o incentivo do Governo à geração de energia renovável e, ainda, possibilitando que cada vez mais projetos paranaenses sejam inseridos no mercado de créditos de carbono”.