A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Diário do Grande ABC
Museu conta a história
Tamanho da letra
10/04/2008

Os mais curiosos sobre como a usina começou devem aproveitar a oportunidade para visitar o Ecomuseu Itaipu.

O local tem programação interativa e conta a história do empreendimento com viveiros de plantas, um aquário com peixes do Rio Paraná, maquetes da construção da usina e de como era a região antes do lago.

A ocupação da região do Oeste do Paraná, que se iniciou com indígenas, portugueses e espanhóis também está contemplada no museu. Um dos destaques é uma réplica do eixo de uma das unidades geradoras da hidrelétrica, que aproxima o visitante do coração de Itaipu.

A abordagem do seu acervo é o homem criando técnicas. Divididos em módulos, o circuito do museu mostra os principais fatos relativos à história de Itaipu e a região, contados de forma contemporânea.

Com o objetivo de preservar o ecossistema, foi criado o Canal da Piracema, como uma forma de visar o repovoamento do Rio Paraná e Lago Itaipu.

Para isso, foi construído um rio artificial, cheio de corredeiras, usadas também para esportes radicais. O canal tem a principal função de favorecer a migração dos peixes rio acima para procriação, ou migração reprodutiva. Aliás, a construção da usina gerou muitos protestos de ecologistas na época, porque cobriu de água o Salto de Sete Quedas, maior cachoeira do Rio Paraná. No entanto, ainda há resquícios dela quando o nível de água da usina está baixo.

 

Christiane Ferreira, do Diário do Grande ABC