A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Zero Hora - RS
Caminhão leve com motor elétrico deverá rodar no país em 2010
Tamanho da letra
03/09/2009

Um caminhão movido a bateria elétrica, que não polui e tem autonomia para andar cem quilômetros, começa a ser produzido no Brasil pela Iveco e a Itaipu Binacional. Os primeiros 10 veículos, similares aos que circulam na França e na Itália no transporte urbano de cargas, deverão estar disponíveis no começo de 2010. O protótipo do chamado primeiro caminhão leve de energia 100% limpa e renovável da América Latina foi apresentado na semana passada, em Foz do Iguaçu (PR), no Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos (CPDM-VE) da Itaipu Binacional. Batizado de Daily Elétrico, roda silencioso, não emite gás carbono, pode levar até seis passageiros e carga de 2,5 toneladas. É adaptado para o transporte de mercadorias e pequenas equipes dentro de cidades ou nos parques de indústrias.
– Ele não polui, não faz barulho e não incomoda – ressalta o gerente da Plataforma de Veículos Leves da Iveco, Marcello Motta.
O Daily será montado em Foz do Iguaçu pela Iveco, que tem sede em Sete Lagoas (MG), e a Itaipu Binacional. Com carroceria e estrutura brasileiras, o sistema motriz terá tecnologia estrangeira. As baterias e o motor elétrico são da empresa MES-DEA. A transmissão, central eletrônica, refrigeração do motor, instrumentos do painel e outros componentes pertencem à Altra, uma divisão da Iveco na Itália.
Motta explica que ainda não é possível calcular o valor do Daily, porque a base de custo dependerá da importação de peças e da política que o governo brasileiro praticará sobre a venda de veículos elétricos. O desafio é tornar o projeto economicamente viável. A Iveco e a Itaipu buscam alternativas com fornecedores para fabricar o caminhão em larga escala e esperam obter redução de impostos como incentivo à preservação do meio ambiente. O gerente da Iveco garante que o caminhão leve, além de ecológico, será mais econômico do que os convencionais. Impulsionado por três baterias de sódio, níquel e cádmio, a autonomia de cem quilômetros poderia ser um limitador, mas Motta assegura que é suficiente para oito horas de serviço. A recarga dura oito horas (se as baterias estiverem vazias) e pode ser feita na própria garagem.
Nilson Mariano viajou para Foz do Iguaçu (PR) a convite da Iveco
O Daily, ao usar 56 quilowatts/hora para andar cem quilômetros, gastará R$ 17. Um veículo de igual porte, movido a óleo diesel, consome R$ 27 para percorrer a mesma distância.