A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Gazeta do Iguaçu
Bicampeã mundial vence o Brasileiro de Rafting
Tamanho da letra
15/06/2009

A bicampeã mundial Alaya Bozo D’Água confirmou sua hegemonia ao conquistar o título do Campeonato Brasileiro de Rafting, que foi disputado no fim de semana em Foz do Iguaçu. A equipe, da cidade paulista de Brotas, ficou na segunda colocação no primeiro dia de provas, mas nos dois dias seguintes recuperou a pontuação e terminou a competição no primeiro lugar geral.

   
A cidade paulista, conhecida por ser o principal centro de formação de atletas da canoagem brasileira na atualidade, é a terra natal dos atletas que conquistaram as três primeiras colocações da Categoria Masculina, a primeira da Feminina e também dos Juniores. Entre os homens, a classificação final teve, na ponta, a Alaya Bozo D’Água, com 976 pontos; a quase homônima Bozo D’Água, com 904; e a Alaya D’Água em terceiro lugar, com 762 pontos conquistados.

  
Entre as mulheres, a equipe Brotas 40 Graus garantiu a primeira colocação, com 988 pontos, seguida pela Canoar (892), e Hydra (790). A equipe paranaense Paraná Rafting ficou em quarto lugar, com 720 pontos. Já na Categoria Júnior, a Brotas Bozo alcançou a marca de mil pontos, seguida das paranaenses Itaipu ICLI (880) e Meninos do Rio (790).

   
A classificação geral consistiu na soma dos pontos das quatro modalidades da competição: Sprint e Sprint Paralelo, que foram disputadas na sexta-feira no Canal Itaipu; Slalom, também no canal construído no interior da hidrelétrica; e Descenso, competido no Rio Iguaçu, no interior do Parque Nacional do Iguaçu. Participaram, no total, 15 equipes, sendo oito masculinas, três femininas, uma que competiu em ambas as categorias, e três juvenis.
   
Para Fábio Ramos Lourenção, integrante da Alaya Bozo D’Água, que conquistou pela sexta vez o Campeonato Brasileiro (segunda vez em Foz), descer o Rio Iguaçu, com a largada próxima às Cataratas, foi uma experiência maravilhosa, mesmo com o nível do rio mais baixo que na competição anterior. "Ano que vem, vamos ver se trazemos ainda mais equipes", afirmou o atleta.

O francês Jean-Claude Razel, treinador das equipes de Brotas, elogiou a organização do campeonato em Foz e destacou o Canal Itaipu como uma excelente ferramenta para a formação de atletas.

  
Apesar de satisfeito com o desempenho de suas equipes, ele lamentou a ausência de competidores. "É uma pena que alguns estados que têm rios bons para a prática de rafting não compareceram. Mas o esporte está crescendo, especialmente com o apoio que a Itaipu está dando, e é importante que outras empresas e instituições façam o mesmo", disse.
   
Pan

As três equipes campeãs representarão o Brasil no Campeonato Pan-Americano de Rafting, que será realizado no ano que vem. O superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem, Denílson Lima, destacou que todas têm chances de ganhar medalhas.
Na visão dele, cabe ressaltar a necessidade de se descentralizar o esporte, levando a experiência a outras localidades, a exemplo da cidade de Brotas, onde há incentivo do poder público e o treinamento começa nas escolas. "Eles estão fazendo o certo, que é começar trabalhando na base", analisou.