A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta

Eventos
3ª Reunião Internacional do Desafio de Bonn
Tamanho da letra
16/03/2018
A 3ª Reunião Internacional do Desafio de Bonn sera realizada no Hotel Recanto Cataratas, em Foz do Iguaçu. O evento é promovido pelo Ministério de Meio Ambiente e Embaixada Alemã no Brasil, com apoio da Itaipu Binacional. 
 
O Desafio de Bonn é um esforço internacional não vinculante de recuperação da paisagem florestal para restaurar 150 milhões de hectares de áreas desmatadas ou degradadas até 2020, e uma extensão adicional de 200 milhões de hectares até 2030. Foi lançado numa mesa redonda em Bonn, na Alemanha, em setembro de 2011. Essa recuperação pode ocorrer com espécies nativas e exóticas, com restauração assistida ou natural, e tem como objetivo resgatar a funcionalidade ecológica e promover o bem-estar humano na paisagem.
 
A Iniciativa 20x20 é uma plataforma que visa à recuperação de 20 milhões de hectares de áreas produtivas na América Latina e Caribe. A proposta prevê a recuperação e conservação de solos produtivos, a integração de sistemas agrícolas, bem como o engajamento de investidores para financiar as atividades da Iniciativa. 
 
A Iniciativa 20x20 também apoia esforços para recuperar funções e processos ecológicos (conservação e recuperação de biodiversidade, recursos hídricos, ciclos biogeoquímicos e solos), por meio de integração da lavoura, da pecuária e da floresta e de outros usos das terras sustentáveis. Dessa forma, o objetivo é tornar as paisagens mais aptas para a agricultura e a produção de serviços ambientais.
 
O Brasil aderiu ao Desafio de Bonn em dezembro de 2016, com a intenção de restaurar, reflorestar e promover a recuperação natural de 12 milhões de hectares de florestas até 2030. Além disso, serão implementados 5 milhões de hectares de sistemas agrícolas integrados, combinando lavoura, pecuária e florestas, também até 2030, e recuperados 5 milhões de hectares de pastagens degradadas, até 2020. Esses esforços estão inseridos no Plano Agricultura de Baixo Carbono (Plano ABC). Essas contribuições brasileiras serão contabilizadas desde 2005.