Rio Paraná
Tamanho da letra

O Rio Paraná (que significa "como o mar" ou "parecido com o mar", em Tupi) é o principal formador da Bacia do Prata. Quando considerado em sua extensão total até a foz do Rio da Prata, na cidade de Buenos Aires, é o oitavo maior rio do mundo em extensão (4.880 km) e o maior da América do Sul depois do Amazonas. É, ainda, o décimo maior do mundo em vazão, drenando boa parte do centro-sul da América do sul, incluindo parte de cinco estados do Brasil. Sua bacia hidrográfica abrange mais de 10% de todo o território brasileiro.

Dois rios principais – Grande e Paranaíba, que drenam parte das águas dos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo – são os formadores do rio Paraná a partir de sua confluência. Ele tem os rios Tietê, Paranapanema e Iguaçu como seus principais afluentes, todos na margem esquerda. O rio Paraná, em sua parte alta, separa os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Até sua incursão em território argentino, quatro usinas hidrelétricas - Jupiá, Ilha Solteira, Porto Primavera e Itaipu - barram seu curso.

Em seu percurso, logo após a confluência com o rio Paranapanema, o Paraná passa a banhar também o estado de mesmo nome. Mais a jusante, exatamente onde foi formado o reservatório de Itaipu, passa a demarcar a fronteira entre Brasil e Paraguai, numa extensão de 190 km até a foz do rio Iguaçu.

Neste trecho, vale destacar uma sub-bacia de grande interesse para Itaipu, que drena parte da rede hidrográfica do território paranaense diretamente ao seu reservatório: a Bacia do Paraná III. Possui 8.000km2 e envolve, total ou parcialmente, 28 municípios do estado do Paraná e um do Mato Grosso do Sul.

O rio Paraná, a partir da foz do rio Iguaçu, passa a ser o limite natural entre Argentina e Paraguai. Na confluência do rio Paraguai, o rio passa a banhar exclusivamente terras argentinas, desaguando no Rio da Prata, que dá nome a esta importante bacia. Ao receber também as águas do Rio Uruguai, constitui a quarta bacia do mundo: a bacia do Prata, com 3.190.000 km2.

 

Rio Paraná - Permanência da Afluência à Itaipu

A regularização à montante permite vazões superiores a 8.000 m³/s noventa por cento do tempo.

Afluência Regularizada Média Mensal Itaipu - Período de 1983 a 2013

Bacia de Drenagem (km²)

Até a confluência com o Rio Paranapanema 673.000
Incremental (da confluência até a barragem da Itaipu) 147.000
total 820.000

Extensão do Rio Paraná/Rio da Prata (km)

Paranaíba 1.200
Confluência dos rios Paranaíba e Grande até Guaíra 500
Guaíra até a foz do Rio Iguaçu 190
Foz do Rio Iguaçu até confluência do Rio Paraguai 690
Foz do Rio Iguaçu até o estuário do Prata 1.720
Total 4.300

Clima (na bacia de drenagem)

Precipitação média anual (mm) 1.400
Evaporação média anual (mm) 1.200

Clima (na área da usina)

Precipitação média anual (mm) 1.650
Evaporação média anual (mm) 1.000

Temperatura média anual (Cº)  22

Temperatura máxima ambiente (Cº)  40
Temperatura mínima ambiente (Cº) -4

Vazões na Bacia Hidrográfica de Influência (janeiro de 1983 a dezembro de 2011)

Média mensal em Itaipu (m³/s)

Máxima – junho de 1983 33.064
Mínima – agosto de 2001 6.768

Média diária em Itaipu (m³/s)

Média do período 11.663
Máxima – 15 de junho de 1983 39.790
Mínima – 10 de setembro de 2001 6.082

Média diária na confluência com o Rio Iguaçu (m³/s)

Média do período 13.973
Máxima – 31 de maio de 1992 49.240
Mínima – 9 de outubro de 1988 6.100

Média mensal do Rio Iguaçu no Posto Capanema (m³/s)

Máxima – julho de 1983 12.176
Mínima – agosto de 2006 250

Média diária (m³/s)

Média do período 1.871
Máxima – 9 de junho de 2014 32.250
Mínima – 12 de outubro de 1988 134

 

Conteúdo Relacionado
Não existem arquivos disponíveis.